Colunista Herico Fernandes


Herico Marcelo Fernandes colunista de Carnaval
Herico Marcelo Fernandes

Passagens: Portela, Imperio da Tijuca
Vizinha Faladeira, União de Jacarepagua, Unidos de Vila Isabel e Acadêmicos do Grande Rio.

Hoje, diretor de harmonia do GRES Unidos do Viradouro.




Restos do Carnaval


"Não, não deste último carnaval. 

Mas, não sei porque este, me transportou para a minha insatisfação e para as quartas-feiras de cinzas que se tornaram realmente cinzentas na vida dos espectadores, mortos onde esvoaçavam despojos de serpentina e confete, mas foram amputados da coerência de determinadas agremiações e sua entidade organizadora. 

Se une a um beato que com um véu de falsidade ideológica e política, tenta cobrir a cabeça do povo com mentiras para acabar com essa grandiosa manifestação popular, o Carnaval. A igreja vazia, atravessando a rua tão extremamente cheia de seres que seguem o Carnaval. 

Até que vi em outros anos, viradas de mesas, mas esperançosos que fomos com a criação da Liga, pensamos na melhoria do espetáculo e já nos vemos anos luz, atrás de outras praças que em nós se espelhavam para esse grandioso espetáculo a céu aberto. 

E quando a festa se aproxima, como explicar a agitação da falta dos ensaios técnicos e patrocínios. Como se enfim, o mundo se abrisse de botão que era em grande rosa escarlate. 

Como se hoje, as ruas e praças do Recife, Salvador, desfile de São Paulo, enfim... explicassem para que tinham sido feitas. Como se vozes humanas enfim, cantassem a capacidade de prazer que era secreta em nosso carnaval Carioca. 

Carnaval esse, que era meu, era seu, fica aqui a esperança de um Carnaval de 2020 melhor com coerência e boas atitudes."

Por Herico Marcelo Fernandes




O texto da coluna é de responsabilidade do próprio autor, ficando o veículo isento de opinão.

Nenhum comentário

Quer fazer um comentário?

Tecnologia do Blogger.