CARNAVAL RJ: Ana do Ziriguidum a madrinha que tem o samba na veia.


Ela tem ziriguidum, ela tem essência de guerreira do samba.

Rainhas, musas, madrinhas e muitas beldades são presença certa no Carnaval. Muitas se dividem e desfilam em várias agremiações, sempre trabalhadas no glamour , no brilho e nas plumas.

Mas há quem diga que a maioria não representa o samba como deveria, ou ao menos a sua agremiação, pois não participam efetivamente dos eventos da escola e algumas nem empatia tem com sua comunidade.

Mas existe o outro lado da moeda, e com certeza conseguimos encontrar neste meio altamente competitivo, aquelas que são guerreiras e que servem de exemplo do que é participar e carregar esses títulos tão cobiçados de rainha, musa ou madrinha de uma escola de samba.

Com histórico de dar inveja a muita gente, ela, Irene Ana de Farias, mais conhecida como Ana do Ziriguidum, é uma dessas guerreiras do samba. Ela, começou a desfilar em 1990 pela agremiação “Primeira da Aclimação” , em São Paulo. Na sua trajetória, ela é do tipo “pé quente” , pois em 1995 tendo feito parte da corte de bateria da Gaviões da Fiel, saboreou um título de campeã, tendo realizado seu último desfile pela escola, como destaque, em 2013 no carro do Chacrinha.

Em 1996 ela não fez por menos. Se mostrando uma fiel amante do Carnaval, desfilou em todas as escolas, exibindo um fôlego além das expectativas. Personalidade sempre presente em programas de TV nas emissoras SBT e extinta Manchete, afinal seu samba no pé como passista show, lhe garantiu destaque inclusive em sua carreira como dançarina, mostrou seu trabalho no Japão e também participou no time show de Sargentelli, em São Paulo, confirmando que realmente tem o samba na veia. Aprendeu a fazer adereços, e outras atividades de Carnaval, tudo para não se afastar da festa, pois o lado da vida pessoal como casamento e família fazem com que a pessoa tenha que se dividir em mil.

Mesmo tendo sua origem em terras paulistanas, ela viajou muito e teve a oportunidade de conhecer diferentes carnavais, e um deles, sem desmerecer nenhum, paixão e amor à primeira vista foi no Rio de Janeiro. Seu vínculo com a “Cidade Maravilhosa” foi tão grande, que abraçou a “carioquisse” e desfilou em grandes escolas como o Acadêmicos do Salgueiro, Mangueira, Grande Rio e Império Serrano.

O samba não tem fronteiras. Seguindo esse lema, esta guerreira mudou-se para a baixada santista e lá traçou mais uma história para deixar sua marca. Ocupando postos cobiçados por várias beldades, ela foi madrinha, rainha, musa, destaque e está até hoje, como destaque de chão, na “Real Mocidade Santista”. Mas as notícias correm, e como havíamos citado no início desta matéria, as escolas andam carentes de verdadeiros sambistas, aqueles que abraçam o trabalho e chegam para somar com as comunidades.

Com seu trabalho reconhecido, em 2017 foi convidada para fazer parte do time do Grces Mocidade de Vicente de Carvalho, como rainha da escola, no grupo de acesso do carnaval carioca, que desfila na Estrada Intendente Magalhães. Em 2018, mais uma vez sua estrela brilhou e a escola subiu de grupo. Não precisa nem duvidar se ela estará em 2019 na avenida.

Em um bate-papo muito bacana com nossa equipe, ela deixou um recado para os foliões:

  - Sou pé de coelho. Fui coroada novamente como a madrinha da Escola para o Carnaval 2019 e estamos a todo vapor. O que posso contar é que serei a Índia Guerreira da pajelança. Um belo figurino criado por Herman Atelier aqui da baixada Santista. Desfilaremos no dia 03 de março e seremos a 10a. agremiação a entrar na avenida. Quero aproveitar, e convidar os amigos e nossa comunidade para chegarmos com muita garra e muita força. Tenho muito a agradecer ao meu Presidente Anselmo,
Vitinho, e Junior, e a toda a diretoria e Família Vicentina, por me receberem tão bem. Vamos somar mais um ano com a agremiação e juntos chegarmos com tudo para conquistar o título da Série C. Axé Comunidade.


O que devemos mencionar e que nos chamou bastante atenção em nossa entrevista, foi que com toda essa bagagem no samba, Ana não desmerece nem faz média, em nenhum momento com as escolas dos grupos de acesso e, principalmente com sua afilhada. Mesmo tendo desfilado em grandes agremiações cariocas e moradora de outro estado, ela faz questão de mencionar a importância em ajudar estas escolas menores, que passam por inúmeras dificuldades, que não tem apoio financeiro nem de mídia. Chama atenção, para a atuação das rainhas e musas serem mais presentes e interagirem mais com as comunidades. Essa é a essência do verdadeiro sambista.

Parabéns Ana e desejamos muito sucesso para o desfile da Mocidade de Vicente de Carvalho. Que venha o Carnaval !

Por: Lia Amorelli
Foto: Arquivo Pessoal 


Nenhum comentário

Quer fazer um comentário?

Tecnologia do Blogger.