UM DIA QUALQUER REESTREIA EM CURTA TEMPORADA NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe para curta temporada, depois de quase quatro anos de sucesso e em turnê pelo Brasil, a peça Um dia qualquer, mais uma edição da parceria bem-sucedida do diretor Alexandre Mello e da autora Julia Spadaccini. Com Anna Sant´Ana, Leandro Baumgratz, Rogério Garcia e Dida Camero no elenco, a comédia faz nove apresentações entre 19 de janeiro e 04 de fevereiro de 2017 (quinta-feira a sábado). O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

A peça fala de um encontro inusitado de quatro desconhecidos num banco de praça em pleno centro da cidade, onde revelam dores, amores e segredos de suas vidas de forma emocionante e engraçada, tornando o público cúmplice dessas histórias. O espetáculo atraiu ótimas críticas após estrear no Espaço Sesc Rio de Janeiro em 2013 e foi indicado ao Prêmio APRT, promovido pela Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro, no mesmo ano.

Um dia qualquer trata das relações humanas através do encontro casual de personagens comuns encontrados nas grandes cidades. O amor e as relações ligeiras e superficiais, a competição acirrada no trabalho, a frustração do sonho de genialidade artística e a proximidade cotidiana com a morte são os temas deste ‘dia qualquer’, em que Julia nos faz viajar pela alma humana, num reconhecimento da nossa sensibilidade e capacidade de identificação e compaixão, tudo isso escrito com muito humor. Território perfeito para Alexandre Mello, que se destaca como um encenador delicado e experiente na direção dos atores e na pesquisa de linguagem cênica, criando belas imagens em efeitos muito simples e teatrais.

A parceria de Julia Spadaccini e Alexandre Mello teve início em 2001, quando montaram Na Geladeira, com Alexandre na direção e atuação. Depois vieram Até o Final da Noite e Quebra Ossos, que rendeu a Julia indicação para o Prêmio Shell 2012. Em 2013, Julia recebeu outras duas indicações à premiação, com as peças Aos Domingos e A porta da frente.

Parceiros:

Carioca de 38 aos, Julia Spadaccini é formada em Artes Cênicas e Psicologia, com pós-graduação em Arteterapia. Autora de mais de 18 textos teatrais, encenadas por todo o país, venceu os prêmios Fita e Shell Rio de Janeiro 2013 pela peça A porta da frente. Contratada pela Rede Globo, foi roteirista dos programas Tapas e beijos e Amorteamo. No cinema, assinou o roteiro de Qualquer Gato Vira-Lata e do curta Simpatia do Limão, pelo qual ganhou o prêmio Porta-curtas Petrobras, no Festival de Cinema do Rio em 2010.

Diretor, ator e professor especializado na preparação de atores e discussão de projetos de criação com jovens artistas, Alexandre Mello já foi premiado com o Shell, Bolsa RioArte e Fate, por vários trabalhos. Com Julia, foi indicado ao Shell de direção 2012 e APRT 2013, respectivamente por Quebra Ossos e Um dia qualquer. Já dirigiu mais de 20 montagens profissionais de teatro e trabalhou na Itália, Dinamarca, Espanha e Portugal. Professor na Escola de Atores Wolf Maya, é diretor artístico e curador do Teatro Ipanema.

Workshop:


Além das apresentações, o projeto prevê a realização de um workshop de empreendedorismo em produção cultural no dia 27 de janeiro (sexta-feira), às 14h. A atividade, ministrada pelos produtores Anna Sant'ana e Rogério Garcia , terá duração de 4 horas e abordará temas como: a criação e o desenvolvimento de uma ideia; o passo a passo na produção de um projeto; uma introdução a leis de incentivo e editais; e produção e realização de um espetáculo. O workshop é direcionado a atores, estudantes e artistas em geral, e o objetivo é dialogar, trocar experiência, conhecimento e incentivar jovens artistas a ter autonomia na produção e realização de seus projetos. Serão ofertadas 25 vagas, e a inscrição deverá ser realizada pelo e-mail espetaculoumdiaqualquer@gmail.com.

Ficha técnica:

Texto: Julia Spadaccini

Direção: Alexandre Mello

Elenco: Anna Sant´Ana, Dida Camero, Leandro Baumgratz e Rogério Garcia

Iluminação: Renato Machado

Cenografia: Daniele Geammal

Figurinos: Ticiana Passos

Trilha sonora: Leandro Baumgratz

Direção dos vídeos: Felipe Bretas e Paula Sattamini ( Multifocus)

Programação visual: Humberto Costa Ribeiro

Direção de Produção: Anna Sant’Ana e Rogério Garcia

Assistência de direção e produção executiva: Paula Loffler

Realização: Usina D’Arte Produções Artísticas

Serviço
Espetáculo Um dia qualquer

Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)

Informações: (21) 3980-3815

Datas: 19 de janeiro a 4 de fevereiro de 2017 (quinta-feira a sábado)

Duração: 70 minutos

Horário: 19h

Lotação: 176 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia entrada) - além dos casos previstos em lei, clientes Caixa pagam meia.

Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 10h às 20h

Classificação: 12 anos

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal


Sinopse

Um executivo, uma professora de inglês, um ator que trabalha com animação de festas e uma enfermeira de pacientes terminais, encontram-se num banco de praça, num dia de verão que parece outono, em plena semana de trabalho na correria do Centro do Rio. O público se torna cúmplice das confissões e histórias destes estranhos que nunca haviam se visto antes, e esse encontro inusitado faz com que revelem entre eles suas dores, seus amores, sua vida de forma emocionante e muito engraçada. Os personagens falam também diretamente com o público, dividindo seus pensamentos e se contradizendo com as suas ações, durante este encontro inusitado.

Workshop gratuito de empreendedorismo em produção cultural:
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2

Data: 27 de janeiro de 2017 (sexta-feira)

Horário: 14h a 18h

Vagas: 25

Inscrições: espetaculoumdiaqualquer@gmail.com


Sobre a Autora - Julia Spadaccini 

Nasceu no Rio de Janeiro, tem 38 anos, é formada em Artes Cênicas pela UNI-RIO, em Psicologia pela USU e Pós-graduada em Arteterapia pela Cândido Mendes. No teatro, Julia é autora das peças de mais de 18 peças encenadas no Rio de Janeiro e em viagens pelo Brasil.
Na TV foi roteirista da série “Oscar freire 279” (Multishow – 2011); do programa “Aprender a Empreender” (Canal Futura – 2010); “Básico” e “Quase Anônimos” (Multishow – 2009). Foi integrante do site “Dramadiário” durante três anos. E foi roteirista contratada na produtora Jodaf Mixer e Conspiração Filmes (2008/09).

No cinema assinou o roteiro do filme “Qualquer Gato Vira-lata” produzido pela Tietê Filmes e do curta “Simpatia do Limão” vencedor do prêmio “Porta-curtas Petrobrás” no Festival de Cinema do Rio (2010). Participou da oficina de teledramaturgia da Rede Globo (2010). Colaborou como roteirista do filme “Loucas para Casar” (Glaz Filmes/ 2015). Desenvolveu o argumento do filme “Isolados” (2014). Esteve em cartaz com a peça “A Vida Sexual da Mulher Feia” monólogo que escreveu para o ator Otávio Muller, e seu ultimo espetáculo,  “Até o final da noite”, está em cartaz no CAIXA Cultural Rio de Janeiro. Indicada aos prêmios Shell (2012), APTR e CESGRANRIO (2013). Vencedora do prêmio Fita (2013) e do prêmio Shell RJ (2013) como melhor autora pela peça “A Porta da Frente”. Em TV, é contratada da REede Globo e onde foi roteirista dos programas “Tapas e Beijos” (2013-2015) e da série “AMORTEAMO” (2015).

Sobre o Diretor - Alexandre Mello 

Alexandre Mello é diretor, ator e professor especializado na preparação de atores e discussão de projetos de criação com jovens artistas. Desenvolve uma dinâmica própria de trabalho há mais de vinte anos e dirige laboratórios de criação no ateliê Alexandre Mello. É professor de interpretação na Escola de Atores WOLF MAYA. Escreveu o livro Vestindo Nelson, pela Editora Francisco Alves. É diretor artístico e curador da programação do Teatro Ipanema ao lado de Fabianna Mello Souza. Antes disso, de 2012 a 2015, foi diretor artístico e curador do Teatro Municipal Gonzaguinha, com o bem sucedido projetoVEM! E faz parte da equipe de curadores do FESTIVAL DOIS PONTOS.

Seus últimos trabalhos de direção foram: Até o Final da Noite, de Julia Spadaccini com Angela Vieira e Isio Ghelman, no Teatro Ipanema; Quebra Ossos, que estreou e fez grande sucesso de público e crítica, no Teatro Laura Alvim, indicado ao Prêmio SHELL 2012, e Um dia Qualquer, ambos de Julia Spadaccini, que estreou em 2013 no Espaço SESC, é um sucesso unânime de crítica e de público, indicado ao PREMIO APTR 2013, ganhou o Prêmio Myriam Muniz de circulação para 2015. Há três anos em cartaz. Dirigiu em dezembro de 2014, O Branco dos seus Olhos, de Álvaro Campos, que estreou no Espaço SESC e fez uma segunda temporada no Teatro Poeira em 2015. Está em processo de criação de Lucrecia, que fez uma mostra de processo no Festival Dois Pontos 2015 e estreia no Sesc Tijuca em Fevereiro/16. Já dirigiu mais de 20 montagens profissionais de teatro.

Ainda como diretor realizou entre outros: O Rinoceronte, de E.Ionesco – Espaço Cultural Sergio Porto e Espaço III do Teatro Villa-Lobos- 1997/98. A Paisagem Daqui é Outra – Itaú Cultural- São Paulo e X Panorama de Dança, Espaço Cultural Sergio Porto - (Escolhido entre os Dez Melhores do Ano de 2001 pela Crítica de O Globo) - com Cia. Márcia Rubin. Vassah de Máximo Gorki- Teatro Villa-Lobos, Teatro São Pedro (POA), Caxias do Sul, Teatro Sergio Cardoso (SP) 2000/01, Who´s gonna kill me?, performance no RioCena –Teatro Carlos Gomes- 2002, Vestido de Noiva de Nelson Rodrigues no Teatro do SESI Junho/julho de 2003. Insulto público de Peter Handke em novembro/2005 no Teatro da UniverCidade e em 2006 no CCBB-Teatro II. Teorema, co-direção da Cia de Dança Márcia Rubin, CCBB. Canção de Mim Mesmo de Walt Whitman – Espaço SESC em outubro de 2006; em 2007 – Canção de Mim Mesmo – a proposição – SESC Avenida Paulista – agosto e setembro; Quatro Pessoas de Mário de Andrade – Espaço SESC – maio de 2008. Solano e Rios de José Sanchis Sinisterra – Espaço SESC – Sala Multiuso – março de 2011, CCJF em setembro e Galpão Gamboa; O Futuro por Metade de Mia Couto, em parceria com Andre Paes Leme e outros no Espaço SESC em Setembro de 2012.

Como ator fez: Édipo Rei; Oréstia; Prometheus e As Troianas. Com o Grupo Mergulho no Trágico foram premiados com o Mambembe 1989 e o Shell 1990. Fez Ñaque de Sanchis Sinisterra – Turnê em Portugal- direção de Moncho Rodrigues – 1992; Family Voices de Harold Pinter – Teatro II do CCBB- direção: Silvia Paselo- 1995; Perdida nos Apalaches de Sanchis Sinisterra – Casa da Gávea- Direção: Sanchis Sinisterra-1997; Acteon de Virgílio Piñera – EntrèScenen Teatret- Aarhus, Dinamarca- direção: Miyoko Kataoka- 1998. Atuou em Capital Federal –CCBB no Rio e em Na Geladeira no Espaço SESC em 2003 e circuito SESC-RJ, em turnê. Hamelin de Juan Mayorga com direção de André Paes Leme CCBB Rio e São Paulo e várias capitais e cidades do Brasil. Doze Homens e Uma Sentença no CCBB Rio e Maison de France com direção de Eduardo Tolentino. Participou no episódio 24 da série Milagres de Jesus - TV RECORD - como o antagonista, mendigo Lior. Participou da websérie RIO de Paula Sattamini e Felipe Brettas, em edição. Trabalhou na Itália, Dinamarca, Espanha e Portugal.

Prêmios e indicações: Shell 1990 pela pesquisa do Grupo Mergulho no Trágico; Prêmio Bolsa RioArte 2002 - direção; FATE 2010 e 2011 por Solano e Rios - prêmios montagem e circulação; Indicação ao Premio Shell 2012 por Quebra Ossos de Julia Spadaccini; Indicado ao Premio APTR 2013 por Um dia Qualquer de Julia Spadaccini; Prêmio Myriam Muniz 2014 para circulação de Um dia qualquer

Nenhum comentário

Quer fazer um comentário?

Tecnologia do Blogger.