sexta-feira, 5 de julho de 2013

Vice-Presidente: Jorge Torresmo
Diretoria de Carnaval: Flávio Mello/ Ronaldo Abrahão/ Serginho Monteiro
Carnavalesco: Luiz di Paulanis
Enredo: Tenha Fé!!
Autor do Enredo: Flávio Mello
Sinopse: Luiz Di Paulanis
E então, por que acreditar?
“Fé em deus e pé na tábua” ou
“Pé em deus e fé na taba”?
Venha falar de fé!
Fé que corrompe, fé que conquista
Fé que aprisiona ou liberta, que ludibria ou inebria
Fé que salva e faz sonhar
Fé na vida, ou fé no homem,
“Fé no que virá”
E quem não tem fé, também não está à toa!
Fé negra ou branca, verde ou amarela
Fé em mais dinheiro no bolso
ou simplesmente em ter comida na panela
Fé ruim ou fé boa, não importa se eu chego lá.
Fé por fé, não se discute!
A minha é no povo descendo a ladeira
Pedindo à Senhora da Guia
Que o seu pavilhão faça o samba ecoar…
“Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar”
CIF
JUSTIFICATIVA DO ENREDO
Vamos falar de fé!
A fé pode estar vinculada a questões emocionais, a motivos considerados moralmente nobres ou estritamente pessoais e egoístas, assim como também pode estar direcionada a alguma razão específica ou ainda, existir sem razão definida. Qualquer que seja sua motivação, vai estar, na maioria das vezes, ligada a sentimentos que evoquem à esperança para vencer determinada dificuldade, ainda que não possua nenhum argumento racional.
A Lins Imperial evoca a fé em dias melhores para levantar sua comunidade e resgatar as glórias de seus antigos carnavais. E o que pode ser mais forte do que a fé para levantar os homens e motivá-los a mudar seu destino?
Em seu primeiro setor, a escola vem mostrar as várias maneiras de exercer a fé. A fé lógica, baseada nas ciências e que faz o homem acreditar na sua capacidade de sonhar, planejar e executar tudo aquilo de que necessita para alterar o percurso de sua vida.
Também a fé no metafísico, no divino, no sacralizado, no superior…A fé que condensa todas as esperanças de que algo maior do que nós capaz de oferecer segurança, proteção, alterar o destino e promover encontros e desencontros (e por que não?).
Para atingir o dinheiro, o homem direciona sua fé também ao jogo ( sua maneira mais fácil e mais rápida de mudar seu destino), ou de garantir que nada pode lhe atingir, acreditando que o dinheiro pode comprar a tudo e a todos.
A luta entre o bem e o mal, entre crer e descrer, entre trevas e luz, condenação e redenção também envolve todo o tipo de fé. Quer seja na religião, nos desejos, na ciência ou na vida, tudo está ligado à eterna batalha de vencer os desafios e fazer triunfar o bem.
E há também a fé na vitória, que lota estádios e faz surgir os bate-papos no dia-a-dia de idas e vindas pro trabalho, distraindo as mentes durante a jornada.
No segundo setor, a Lins vai falar da fé litúrgica, sacralizada, a terceira instituição responsável por disseminar a cultura em todas as sociedades: a religião. Para isso, apresenta os principais traços culturais religiosos que movimentam o dia a dia dos brasileiros, responsáveis por séculos de esperanças, lutas, vitórias e até mesmo discriminação.
A fé depositada nos elementos da natureza, cultuada pelos primeiros habitantes, reproduz a beleza das almas inocentes, onde o mundo possível era tudo aquilo onde a vista alcançava. Quando não se tinha noção da proporção das terras além-mar, o diferente era sacralizado.
Mais tarde, a fé branca dos cristãos pisa em terra brasileira e sente necessidade de catequizar, de trazer para luz os selvagens indígenas, adoradores impuros. A aculturação promovida tenta apagar qualquer traço de culto pagão e substituí-los pelo correto credo no novo mundo.
A fé que possui matrizes africanas surge com o advento da escravidão. Milhares de almas oriundas da diáspora, vindas de muitas tribos e muitas crenças, dão origem a um novo traço de fé: o candomblé. Muitos credos se perdem, as origens se misturam, os elementos são cruzados e só se revelam pelo meridilogum e pelas sementes de Ifá, para reinar sobre o ori dos Yawos.
Os ventos do oriente trazem as crenças territoriais, que aproximam o homem das lógicas energéticas e essenciais. In e Yang, Baguá, Tao e Buda regem as novas orientações, chamando o homem à percepção de uma razão mais concreta de bem-viver, menos interpretativa e mais focada no compartilhamento da bondade e aproveitamento de todos os aprendizados como fluxos de vida dispostos a ensinar a formar um ser cada dia melhor.
E de tudo isso, se busca entender a mensagem para se fazer uma Lins Imperial melhor. No terceiro setor, independente de religião, de crença, de jeitinho, de sorte, de lei ou de entendimento, a Lins mostra a necessidade de entender a importância de possuir uma bandeira ao pé da comunidade e de finalmente abraçá-la de volta, tomando como exemplo tudo de bom e de ruim que já aconteceu, promovendo com coragem as mudanças que vão levar a escola a seu lugar: a grande avenida.
É preciso ter fé no trabalho sério e na comunidade para que oportunistas nunca mais tenham vez na escola. Para não mais permitir que mal intencionadas venham espoliar o pouco que se tem, apenas por ganância, egoísmo e por não entender o real valor das cores da escola para o Complexo do Lins.
É preciso entender que os fundadores desta escola plantaram sementes para colher bons frutos . É preciso entender que as flores germinadas irão gerar novas árvores que darão à escola a segurança que só as raízes fortes proporcionam. É preciso ter fé no sacrifício feito no passado, por cada pai, mãe, avô, avô, irmão, irmã, amigo ou amiga que virou noites em casa fazendo fantasias, ensaiou ou desfilou sob qualquer tempo, para fazer grande essa escola.
É preciso ter fé na padroeira, ter fé no pavilhão e acreditar que andorinha a andorinha, finalmente a Lins vai conquistar um lugar ao sol nesse verão. Acredite que, do fundo do poço, se consegue o empuxo necessário para retornar à luz do dia e que daqui a pouco, o Complexo do Lins vai ser freqüentado, falado, cantado em verso e prosa, como se orgulham tantas outras comunidades a cada quarta-feira de carnaval. É preciso ter fé que vão voltar as festas da quinta-feira.
É preciso descer as ladeiras, acreditar, fazer da Intendente a passarela para uma procissão verde-rosa, capaz de emocionar, realizar e vencer! Acredite! Tenha fé!
Autor do Enredo: Flávio Mello

Um comentário :

  1. A Editoria do Site Oficial informa a este conceituado Site de Carnaval =RITMO CARIOCA= que disponiblizou o direcionamento do seu link de acesso, através da -PÁGINA NOTÍCIAS-, na imagem lateral à direita . . . -CLIQUE AQUI -VEJA NOTICIAS DAS ESCOLAS DE SAMBA E DO CARNAVAL . . . (Entrada para o Site de links de Sites sobre Carnaval...www.sambanews.br30.com ). . . Saudações Verde-Rosa ! -TUNINHO LINS -Editoria do Site Oficial da S.R.E.S. Lins Imperial . . .Endereço: www.linsimperial.com

    ResponderExcluir

Faça aqui o seu comentário.

Fale direto com a gente

Fale direto com a gente
Só clicar acima e você entrará direto no nosso whatsapp, seja bem-vindo.

Parceria TV G RIO

Parceria TV G RIO
O Mundo Online te vê aqui

Veja mais sobre o CARNAVAL

Veja mais sobre o CARNAVAL
Clique e venha descobrir esse mundo de sonhos numa coleção pra lá de especial.

G+ tambem estamos lá !

Reconhecimento e Engajamento - Será que existe ?

Samba Oficial Acad. Engenho da Rainha 2018

Por onde começo?

Já curtiu ?

Postagens Populares

Twitter