Notícias da Bahia: Conselho do Carnaval segue na mira do MP por fusões de fachada

por Rodrigo Aguiar - BAHIA NOTÍCIAS
Irregularidades na fusão de blocos de carnaval continuam na mira do Ministério Público Estadual (MPE). Em 2009, um inquérito foi aberto para investigar a união de entidades carnavalescas que desfilam no circuito Barra-Ondina e, periodicamente, o assunto volta à tona. De acordo com o Grupo de Apoio à Folia Momesca, muitas fusões seriam apenas uma fachada para a prática de arrendamento, proibida por lei. Conforme apurou o Bahia Notícias com ex-donos de blocos, um lugar na fila chega a ser comercializado por até R$ 250 mil. Como as vagas para desfile são concessões públicas, blocos maiores comprariam, ilegalmente, o espaço de menores na fila, por meio de fusões “mascaradas”. Em e-mail encaminhado ao MPE, o grupo destacava que muitos blocos pequenos não desfilavam há anos e que não havia composições de fato já que “a fusão entre duas entidades carnavalescas consiste em exposição de marca dos dois blocos no abadá, no trio, nas propagandas, nas vendas; e isto não vem ocorrendo". Blocos podem ser acionados por venda irregular de concessões.

Nenhum comentário

Quer fazer um comentário?

Tecnologia do Blogger.