domingo, 8 de julho de 2018

foto: Jaylton Pimentel
Porta-Bandeira reencontra Raphael Nascimento que volta a ser seu Mestre-Sala

Após a chegada de Raphael Nascimento, a Unidos da Ponte anuncia Cassianne Figueiredo, formando o novo 2º casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira da Azul e Branco da Baixada, rumo ao carnaval 2019.

Com experiência na Marquês de Sapucaí, tendo passado por Alegria da Zona Sul e Acadêmicos do Sossego por duas temporadas, Cassianne já foi primeira Porta-Bandeira na Unidos do Jacarezinho, Unidos da Vila Santa Tereza e Unidos de Bangu.

- Estou muito feliz e espero realizar um ótimo trabalho, visando sempre ajudar a escola. O Rapha e eu temos uma sintonia e vamos com muita garra, pois tradição a escola tem bastante - declarou, Cassianne.

A nova 2ª Porta-Bandeira da Unidos da Ponte já foi cortejada por Raphael no Arrastão de Cascadura em 2016 e 2017, conquistando a nota máxima para a escola naquela oportunidade.

A Unidos da Ponte já prepara um novo evento para o mês de agosto, onde pretende reunir grandes escolas de samba da Baixada Fluminense. A Azul e Branco abrirá o primeiro dia de desfiles da Série A, na sexta-feira de carnaval em 2019.
“Nzungu – O Quilombo Negro de Resistência, vamos fazer barulho de preto na Avenida!”
Rio de Janeiro, Largo do Peixe, início do século XIX, ao lado do Paço Imperial, as mulheres pretas nessa época, também conhecidas com quituteiras, eram negras libertas ou “escravas de ganho” que montavam suas quitandas e vendiam o famoso angu. Como até os dia de hoje, o prato do angu era um alimento popular feito com milho moído, cozido e temperado, por vezes complementado com carnes e camarão.

Essas pequenas quitandas ou barracas eram fixas. Com elas existia a sociabilidade entre escravos, ex-escravos e também alguns libertos. Esses locais ganharam uma tradução yorubá e ficaram bastante populares nesse período como nzungus.

Mais tarde, quando conseguiram algum dinheiro, as baianas quituteiras se mudaram para as casas e começaram a cozinhar o alimento dentro delas, situadas em pequenas ruas da cidade, principalmente nos bairros do Centro e da Gamboa. Ali, todos se reuniam para dançar, batucar, cantar, celebrar e reverenciar os seus orixás, inquices e voduns. Dessa forma, os nzungus ganham força e se tornam sede de resistência cultural dos negros. As casas começam a receber a adesão dos escravos fugidos (muitos do recôncavo baiano) e africanos recém-chegados, fazendo daquela região do rio uma cidade escondida, a pequena África - um verdadeiro quilombo.

Nessa época, esses nzungus começam a ser chamados de “barulho dos negros” ou “barulho de pretos”. Em 1835, o governo cria uma lei para proibir e reprimir tais encontros. Logo os locais foram vistos como clandestinos, lugar de lúgubres, imundos, ponto de reunião de desordeiros, vagabundos, gatunos pela sociedade. A polícia recriminava e chamava os znungus de “Casas de Quilombo” e perseguiam esses encontros pela Rua da Vala, no Beco do Cotovelo e na Rua do Lavradio. Na Gamboa, a proibição era grande, mas tinham também o apoio de alguns comerciantes e pessoas que acreditavam que ali, ainda era um ponto de resistência e a existência de um espaço como esse era fundamental para o funcionamento da cidade, pois movimentava o comércio da região.

Os nzungus, que eram na sua maioria comandado por mulheres negras ou libertos minas, começam a se solidificar como verdadeiros centros quilombolas e principal referência para se propagar a cultura urbana negra brasileira. Ali, o povo negro que foi separado da sua família original, cria novas famílias, novos amigos e novos afetos. No local, a música, a dança o jogo de capoeira eram formas de trocar informação e manter acessa à história do povo africano.

Eram centros de luta, casa de liberdade, espaço de tradição africana e brasileira negra. Uma rede familiar de irmãos. Centro onde as vozes não se calam, os gritos ecoavam de felicidade. Quilombos da cidade do Rio de Janeiro, Nzungus - espaço de cultura e força africana.

Nesse carnaval, o Jacarezinho, nossa favela amada, se torna um Nzungu, um verdadeiro quilombo cultural. Nesse dia, nosso samba será cantado e propagaremos um grito de resistência: Vamos cantar o amor, a nossa voz cantará a nossa cor, a nossa cultura e a nossa existência. Dançaremos para os nossos orixás e lutaremos até o fim para que não calem as nossas vozes!

Nessa data de folia, nosso Jacarezinho se veste com as cores d`África, pinta seu rosto de guerreiro e batuca seu atabaque chamando todos os seus ancestrais para a luta na avenida.

Será uma luta pacífica, de oportunidades, de sociabilidade e de visibilidade negra nesse espaço cultural que é o carnaval carioca. Lutaremos para vitória, para alçarmos o nosso lugar no topo, no lugar de onde jamais deveriam ter nos tirado, no nosso lugar de ocupação e de visibilidade, dessa que é maior comunidade negra da América Latina. Hoje, nossa favela é o Nzungu – O Quilombo Negro de Resistência, vamos fazer barulho de preto na avenida!

Autores do Enredo: Edu Gonçalves e Igor Damásio

Fontes Bibliográficas: MARTINS, Valter. Taguás: simulacros da liberdade no últimos anos da escravidão em Campinas. XXIV Simpósio Nacional de História – ANPUH, 2007. SOARES, Carlos Eugênio Líbano. Zungú: rumor de muitas vozes. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1998.

sábado, 7 de julho de 2018

Para o carnaval de 2019 o Acadêmicos da Rocinha mudou a forma de disputa de samba de enredo. 
Buscando aumentar a disputa e dar oportunidade para que compositores de todo país possam concorrer, a escola de São Conrado, receberá sambas de todo o Brasil.

Uma comissão julgadora da escola selecionará 4 sambas no dia 12 de agosto. Os selecionados se apresentarão na quadra no dia 25 de agosto, data em que a escola definirá o hino para o próximo carnaval.

- A disputa foi pensada nos compositores devido a crise, pois assim seria mais barato e todos poderiam participar, comenta o presidente Ronaldo Oliveira.

Nos dias 08 e 29 de julho o carnavalesco Junior Pernambucano estará na quadra da agremiação para um tira dúvidas com os compositores. Os encontros acontecerão das 15h às 18h na Rua Berta Lutz, 80.

No próximo ano a escola pedirá o fim do preconceito através do enredo "Uma banana para o preconceito” e será a terceira a desfilar na sexta de carnaval. 


A Alegria da Zona Sul, visando o acesso ao grupo especial, acertou a contratação de Marcela Bernardo e Cíntia Leonício para o cargo de novas coordenadoras da ala das baianas. Marcela é filha de Jane Carla, uma das maiores referências do carnaval nesse segmento e tem experiencia em diversos segmentos dentro de uma agremiação como ritmista, coordenadora de ala de baianinhas, harmonia e diretora social. 

Já Cíntia Leonício possui ampla vivencia passando por diversos departamentos, entre eles, passistas, comunidade e alas das baianas, na qual faz parte há 11 anos. Ambas comentaram suas chegadas a escola e a expectativa para 2019:
"Estamos muito felizes em contribuir para este novo projeto. Agradecemos ao presidente Marquinhos e sua diretoria pela confiança. Com ajuda de todos, esperamos colocar em prática tudo o que aprendemos com muita humildade."

Jane Carla, consagrada e premiadíssima no carnaval carioca, também falou sobre o início dessa jornada para sua filha e sua afilhada:
"Da mesma forma que estou feliz, também cobro empenho total. É uma responsabilidade muito grande, porém estarei sempre por perto para ajudá-las."

O presidente Marquinhos Almeida comentou sobre os novos reforços da agremiação:
"A Marcela e a Cíntia estão trazendo uma bagagem bem significativa para a escola. São experientes no segmento e tem o apoio de uma das alas mais tradicionais do carnaval. Estamos trabalhando bem pesado para fazer um belíssimo desfile."

A dupla será apresentada a comunidade no dia 24 de agosto, na apresentação dos sambas concorrentes.
Em 2019, a vermelha e branca do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo será a segunda escola a desfilar na sexta-feira de carnaval e apresentará na Marquês de Sapucaí o enredo "Saravá, Umbanda!", de desenvolvimento do Carnavalesco Marco Antonio Falleiros.

quinta-feira, 5 de julho de 2018


carnavalesco Leo Jesus e equipe
carnavalesco e equipe - foto Claudio Mello
No último domingo dia 1 de julho, o Acadêmicos do Engenho da Rainha fez uma festa digna de uma grande escola.

Com a presença da Estação Primeira de Mangueira e Portela, a comunidade da primeira academia do samba comemorou os 69 anos da agremiação com quadra lotada, muitos sambas antológicos e uma batucada que não deixou ninguém parado.

O presidente Paulo Henrique e os componentes da escola não escondiam a emoção. 


"Nossa escola está linda. Não tem como não se emocionar. Para nós, que lutamos todos os dias para manter a chama da nossa escola sempre acesa, trazer cada vez mais a comunidade para perto de nós, é muito gratificante ver que nosso trabalho está dando frutos. Receber duas escolas com a importância de Portela e Mangueira dá aquela sensação maravilhosa que estamos no caminho certo. Vamos seguir em frente para lutar pelo título, mas sempre com humildade e pé no chão. Estamos lançando hoje nosso enredo, oficialmente. Podem esperar , porque o Engenho da Rainha vai fazer um belíssimo desfile. Não vamos poupar esforços para colocar na avenida uma escola com peso, dignidade e um desfile inesquecível,"

comentou o presidente.


Alegria da Zona Norte
O evento contou ainda com personalidades do samba e outras escolas coirmãs que fizeram questão de prestigiar a festa, como Grilo de Bangu e a escola campeã do Carnaval de Niterói, Alegria da Zona Norte, componentes da Império da Tijuca, Tuiuti, Renascer de Jacarepaguá, Vila Isabel entre outros.




O síndico da Sapucaí, José Carlos Machine também esteve presente, os presidentes Luis Carlos Magalhães, da Portela e Chiquinho da Mangueira , e ainda o Deputado Pedro Paulo com alguns assessores.

A cada samba antológico que era cantado o público vibrava e sambava muito.

Durante a festa, o carnavalesco Leo Jesus, junto com sua equipe, lançou oficialmente o enredo e a logo, que foi feita pelo designer gráfico Nelson Vasquez.

O Acadêmicos do Engenho da Rainha será a 8a escola a desfilar na Intendente Magalhães, pela Série B, na terça-feira de Carnaval em 2019.

Fotos: Claudio Mello

Paulo Henrique (pres.Engenho) - 1o casal MS e PB e
pre. Luis Carlos (Portela)

1o casal e pres. Chiquinho da Mangueira (Mangueira)

Deputado Pedro Paulo

CLIQUE NA LOGO ABAIXO PARA LER A SINOPSE
Autor: Leo Jesus


 SINOPSE DO ENREDO 2019


quarta-feira, 4 de julho de 2018

A diretoria da Liesb (Liga Independente das Escola de Samba do Brasil) informa que os desfiles da Série E do Carnaval do Rio de Janeiro não mais serão organizados pela entidade, mas sim pela ACAS (Associação Cultural Amigos do Samba).

A plenária realizada na tarde de quinta-feira (28) na sede da Liesb, confirmou a alteração que visa uma ação exclusiva, buscando mecanismos financeiros com maior foco e importância a todas as agremiações que integram o grupo.


Os desfiles da Grupo E do Carnaval Carioca acontecem sempre no 'Sábado das Campeãs', que em 2019 ocorrerá no dia 09/03/2019, na Estrada Intendente Magalhães.

Gustavo Barros
presidente

Ioná Galvão
Vai ter baiana sambando na Sapucaí. A estudante de contabilidade Ioná Galvão é a nova musa da Império da Tijuca para o Carnaval 2019 e desfilará pela primeira vez no Sambódromo carioca no próximo carnaval.

Nascida em Salvador, a baiana que tem família no Rio de Janeiro, cresceu admirando o carnaval da cidade, mas o sonho de desfilar, no entanto, será realizado dia 2 de março de 2019, quando a verde e branca do Morro da Formiga pisará na passarela de desfiles em busca do campeonato da Série A.

- Sempre admirei o carnaval do Rio de Janeiro. Assistia a todos e fiquei encantada pela Império e toda sua tradição. Estou muito feliz em poder ser destaque da escola. Desejo ser uma musa ativa, participar de todos os eventos e da comunidade. Já estou ansiosa para os ensaios e desejo acrescentar muito ao seu desfile nesse carnaval – declara a graduanda da Universidade Federal da Bahia.

Ioná Galvão será apresentada a comunidade em agosto, durante as eliminatórias de samba-enredo da agremiação. A Império da Tijuca no Carnaval 2019 desfilará pela Série A da Lierj buscando a única vaga ao Grupo Especial sendo a 5ª escola a desfilar no dia 2 de março, sábado de carnaval.

Foto: Arquivo Pessoal
A Lins Imperial, agremiação que desfilará na Intendente Magalhães pela Série B, terá pelo quarto ano consecutivo uma dupla de coreógrafos para comandar a comissão de frente no Carnaval 2019: Luiz Carlos e Natasha Lima assumiram o comando do quesito da escola em 2016 e já trabalham nos preparativos para levar Bezerra da Silva para a Avenida.

Luiz Carlos é professor e dançarino carregando em sua bagagem turnês europeias e inúmeros trabalhos nacionais. O profissional saiu dos palcos e salões da gafieira, para estrear como coreógrafo de comissão de frente e nunca mais parou. A história de amor do jovem com o samba começou na comunidade do Cantagalo e foi fortemente influenciada por toda sua família, principalmente pelo seu pai.

- Entre os anos de 2010 a 2013 fui componente das comissões de frente de escolas como: Alegria da Zona Sul, Inocentes de Belford Roxo e Vila Isabel. E hoje tenho a oportunidade através da Lins Imperial, de assinar um trabalho juntamente com minha parceira e também coreógrafa Natasha Lima. – diz o coreógrafo.

Natasha Lima se divide entre professora e dançarina e trilha sua estrada profissional no Brasil e na Europa exclusivamente através do samba. A jovem vive imersa desde nova mundo da dança. Se graduou no segmento pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e compôs durante seis anos o quadro de dançarinos de uma companhia de samba de gafieira e hoje realiza um grande sonho profissional assinando a comissão de frente da Lins Imperial e estreando na Marquês de Sapucaí em 2019 pela Unidos de Bangu, da Série A.

Com o objetivo de buscar o título em 2019, o grupo já iniciou a rotina de ensaios intensos para conquistar o campeonato na Avenida. O enredo “Malandro é Malandro, Bezerra é da Silva” será desenvolvido pelo carnavalesco Guto Carrilho.

Fotos: Ari Lang
Divulgação
A dançarina e modelo Anny Alves é a nova musa da Unidos do Porto da Pedra para o Carnaval 2019. A baiana, que sempre foi apaixonada pela folia carioca, trabalha e mora na Europa há nove anos, e abriu um estúdio que ensina samba para os estrangeiros. 

“Desde criança sou apaixonada pelo Carnaval do Rio, sempre assistia na TV e me imaginava no meio daquele espetáculo todo. As roupas glamourosas, as mulheres lindas, carros alegóricos… era um sonho. Em 2018, participei do Carnaval do Rio pela primeira vez, na Renascer de Jacarepaguá. Aquela multidão gritando, fogos e luzes me fizeram chorar. Foi mágico”, confessou a musa do tigre, que se inspira em beldades como Ketula Mello, Jessica Guirgo, Belinha Delfim, Valeska Reis e Luana Bandeira. 

No Carnaval de 2019, a vermelha e branca de São Gonçalo levará para a Marquês de Sapucaí o enredo “Antônio Pitanga, um negro em movimento”, desenvolvido pelo carnavalesco Jaime Cezário. A Porto da Pedra será a quarta escola a desfilar no sábado da Série A.
O presidente da Riotur, Marcelo Alves, dando continuidade à agenda de encontros para o planejamento do Carnaval Rio 2019, realizará nesta quinta-feira (5/7), uma reunião com os órgãos públicos responsáveis pela gestão e preservação do patrimônio público. 

O encontro reunirá representantes do IPHAN, IRPH e Inepac, além de membros dos Ministérios Públicos Federal e Estadual. O tema central do encontro será a análise da planta técnica dos desfiles de megablocos no Centro do Rio e o consequente aprofundamento nos estudos do impacto desses cortejos nos bens culturais tombados da região.

A reunião será composta também por integrantes de órgãos públicos envolvidos na organização do Carnaval Rio 2019 ligados às pastas de Saúde, Mobilidade Urbana, Limpeza e Ordenamento Público, entre outras. Completam a lista de presentes os organizadores de megablocos, os representantes de associações de moradores e os parceiros da iniciativa privada envolvidos na realização do evento.

DATA: 5 de julho de 2018, quinta-feira
HORÁRIO: 10h.
LOCAL: Auditório da ABAV - RJ | Rua Senador Dantas, 76 - sobreloja - Centro

A imprensa poderá cobrir imagens da reunião e realizar entrevistas ao final do encontro, que tem previsão de duração de 2h. Para credenciamento, favor enviar os nomes dos membros da equipe destacada para cobertura para ascom.riotur@gmail.com até às 18h de hoje.

Fale direto com a gente

Fale direto com a gente
Só clicar acima e você entrará direto no nosso whatsapp, seja bem-vindo.

EVENTOS E SHOWS

ARTE E CULTURA

MODA - BELEZA - ESTÉTICA

Parceria TV G RIO

Parceria TV G RIO
O Mundo Online te vê aqui

Veja mais sobre o CARNAVAL

Veja mais sobre o CARNAVAL
Clique e venha descobrir esse mundo de sonhos numa coleção pra lá de especial.

G+ tambem estamos lá !

Independentes de Olaria


Ouça os sambas concorrentes

Desfile de blocos da Região Portuária 2018

Já curtiu ?

Por onde começo?

Postagens Populares

Twitter